domingo, 13 de dezembro de 2015

Diafragma vaginal - ainda tem vez?

O diafragma vaginal é um método de barreira, ou seja, forma uma barreira mecânica que impede a passagem dos espermatozoides para o interior do útero. É um grande anel flexível, entre 6 e 8,5 cm de diâmetro com uma membrana de látex ou silicone em forma de cúpula que é colocado dentro da vagina.

O tamanho do diafragma é determinado de acordo com uma medição prévia efetuado por um médico ou profissional de saúde treinado.   Para aumentar sua eficácia, é recomendável o uso associado com geleias espermicidas, as quais fazem uma barreira química contra os espermatozoides. O problema é que no Brasil não se fabrica mais a geleia espermicida, obrigando as usuárias utilizar o diafragma com lubrificantes vaginais.

O diafragma vaginal é um método contraceptivo que exige uma orientação adequada e mulheres motivadas no seu uso. É especialmente procurado por mulheres profissionais da área de saúde, de nível superior e por aquelas que não desejam métodos hormonais.

Modo de uso

O diafragma deve ser inserido na hora da relação sexual ou até uma hora antes. Primeiramente deve ser colocado o espermicida ou o lubrificante nas bordas e no lado côncavo do diafragma. No entanto, muitas  mulheres costumam inseri-lo diariamente em determinada hora em que habitualmente têm relações sexuais.

Inserindo o diafragma

O ideal é colocar o diafragma em enquanto você está deitada, de cócoras, ou com um pé em uma cadeira. Suas pernas precisam estar bastante abertas. Dobrar os joelhos pode ajudar. Uma vez que você está na posição, siga estes passos:

Use uma mão de dobrar o diafragma ao meio com a cúpula apontando para baixo (veja a imagem abaixo). Segure sua vagina aberta com a outra mão.


Coloque o diafragma em sua vagina, apontando para o cóccix (ver imagem abaixo). Empurrar o diafragma para trás na vagina o máximo que puder.
Use um dedo para empurrar a borda frontal do diafragma atrás de seu osso púbico, apontando para o seu umbigo.


Checando a posição de seu diafragma

Insira um dedo profundamente na vagina para sentir o colo do útero atrás da película do diafragma. Se o colo do útero estiver descoberto é por que o diafragma não está bem inserido.
Isso significa que você precisa remover o diafragma, colocar gel espermicida mais sobre ele, e inseri-lo novamente.

Deixar o mesmo, no mínimo, seis horas após o coito. No caso de outra relação sexual, deve ser colocada outra dose da geleia ou lubrificante, sem retirar o diafragma.
Precisa ser lavado com água e sabão neutro após cada uso.

Vantagens

Permite à própria mulher o controle da sua fertilidade
Diminui - parcialmente - o contágio de algumas doenças sexualmente transmissíveis
Sem efeitos hormonais.
Com os cuidados de limpeza e armazenamento o diafragma vaginal pode ter durabilidade de 2 – 3 anos.

Desvantagens

Eficácia muito variável, dependendo do uso correto por parte da usuária.
Exige instruções adequadas por parte do profissional de saúde e a capacidade de entendimento por parte da mulher
Aumenta a incidência de infecções do trato urinário

Efeitos Secundários

O espermicida pode causar irritação na mulher e seu parceiro, especialmente se usado várias vezes ao dia.
As infecções do trato urinário podem ser mais frequentes. É conveniente urinar após as relações sexuais.

Contraindicações

Alergia ao látex ou silicone (muito raro)
Prolapso genital avantajado
Infecção urinária ativa ou recorrente

O diafragma vaginal está disponível na www.telediu.com.br, de fabricação nacional, de silicone e aro em espiral de metal tratado. Antialérgico, inodoro. Pode ser fervido.

Abaixo imagem de um diafragma corretamente colocado.


Palavras-chave: diafragma vaginal, contracepção, contraceptivo não hormonal, métodos de barreira.

Dr. Antônio Aleixo Neto 

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

OBRIGADO! MUITO ORGULHO!

 

ventureneer-crowdfunding-women-entrepreneurs

+ de 400.000 visitantes no nosso blog.

domingo, 22 de novembro de 2015

Dúvidas: Você precisa “descansar” de vez em quando com uso da pílula anticoncepcional?

 

clip_image002

Falso:

Esta é uma das crenças mais comuns sobre a pílula, até mesmo por alguns profissionais de saúde. A ideia de fazer uma pausa da pílula pode ter suas origens no fato de que as pílulas mais antigas tinham altas doses hormonais. Algumas pessoas também acham que esse “descanso” é necessário para manter os níveis de fertilidade. No entanto, não há razão para as mulheres fazerem isto, como por exemplo, descansarem um mês por ano. Alguns estudiosos sugerem que, de fato, o reinício repetido da pílula pode ser mais prejudicial do que a situação relativamente em estado estacionário que é mantida durante o uso sustentado. Além disso, como efeitos colaterais geralmente ocorrem nos primeiros meses de uso da pílula, muitas vezes cedendo depois de um tempo, ao reiniciar a pílula as mulheres podem ter esses efeitos colaterais novamente.

Palavras-chave: pílula anticoncepcional, pausa, descanso.

Dr. Antônio Aleixo Neto

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Exame de Papanicolau ou Citologia Oncótica

Sinônimos:
Preventivo, exame citológico, exame colpocitológico, citologia oncótica
O que é?
É uma maneira de examinar células coletadas do colo do útero. O objetivo principal do exame é detectar o câncer de colo de útero em estágio precoce ou anormalidades nas células que podem estar associadas ao desenvolvimento deste tipo de tumor.
Ele também pode encontrar condições não-cancerígenas, como infecções viróticas no colo do útero, tais como verrugas genitais causadas pelo HPV (papilomavírus humano) e herpes, infecções vaginais causadas por fungos, como a candidíase ou por bactérias, como o Trichonomas vaginalis. O exame também pode dar informações sobre os níveis hormonais, principalmente estrogênio e progesterona.
Quem deve fazer este exame?
É recomendado para todas as mulheres sexualmente ativas, independentemente da idade. Deve ser iniciado pelo menos três anos após o início da vida sexual ativa, ou antes, dos 21 anos de idade (o que acontecer primeiro).
A coleta pode ser interrompida aos 65 anos, se houver exames anteriores repetidamente normais.
Qual o intervalo ideal entre as coletas?
O intervalo ideal entre as coletas de citologia varia entre um a três anos baseado na presença de fatores de risco, tais como:
  • Início precoce da atividade sexual
  • História de múltiplos parceiros sexuais
  • Nível socioeconômico baixo
  • História de ter tido parceiro com infecções genitais
  • Passado de câncer de vulva ou vagina
  • Ter parceiro com história de câncer de pênis
  • Ser fumante
  • Estar imunodeprimida
A coleta deve ser anual caso algum destes fatores esteja presente
Como devo me preparar para a realização do exame?
O melhor período do ciclo menstrual para a realização do exame é, pelo menos, uma semana antes da menstruação.
Deve ser evitado o uso de cremes ou duchas vaginais por 48 horas anteriores ao exame e não ter relações sexuais pelo menos 24 horas antes do procedimento.
O que ocorre durante a realização do procedimento?
É um exame bastante simples. A mulher fica na posição ginecológica (deitada, com os joelhos dobrados e as pernas afastadas), o médico introduz um especulo na vagina, retira material do orifício do colo do útero e da parede vagina e encaminha para análise em laboratório de citopatologia.
Não há dor durante o exame, algumas mulheres sentem um leve desconforto. É importante manter-se relaxada durante o procedimento para facilitar a introdução do especulo.
O que esperar após a realização do exame?
Se o resultado mostrar células normais, não é necessário nenhum tratamento. Caso haja alguma infecção, o ginecologista irá orientar um tratamento específico.
Se as células apresentarem alguma alteração, poderão ser necessários outros exames, como, por exemplo, uma colposcopia. Converse com o seu médico sobre esta necessidade.
Como é coletado material do colo do útero, às vezes pode ocorrer um leve sangramento no local. A presença de dor ou a manutenção do sangramento deve ser prontamente comunicada ao ginecologista.
Fontes:
National Cancer Institute – U.S. National Institutes of Health
U.S. Preventive Services Task Force
Agency for Healthcare Research and Quality

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Pílula do dia seguinte: perguntas mais frequentes.

 

Pílula de emergência ou pílula do dia seguinte é um método que usa uma progesterona sintética (levonorgestrel) em dose alta, para impedir uma gravidez. É um método de emergência, para ser usado apenas em condições especiais, exemplo:

· Preservativo que arrebentou

· Ter ficado mais de três dias sem tomar a pílula comum

· Em caso de violência sexual

· Relação sexual sem nenhuma proteção contraceptiva

clip_image002

Qual pílula tomar?

Hoje em dia recomenda-se o uso da apresentação mais moderna, que tem apenas uma pílula com 1,5 mg de levonorgestrel. Existem várias no mercado e inclusive em postos de saúde.

Quando tomar?

O mais rapidamente possível, dentro de no máximo 72h. A eficácia é tanto maior quanto mais cedo tomar. 95% nas primeiras 24h, caindo para 85% e 60%, no segundo e terceiro dias, respectivamente. Caso a menstruação atrase mais de cinco dias, deve-se fazer um teste de gravidez.

Como age?

Impedindo a fecundação ou retardando ou inibindo a ovulação. A pílula do dia seguinte não age numa gravidez estabelecida.

Tem efeitos colaterais?

Como todo medicamento, pode apresentar alguns efeitos. Os mais comuns são os enjoos e vômitos. Se a usuária vomitar até duas horas após a tomada a absorção pode ser comprometida e falhar. Deste modo, é recomendável tomar-se um medicamento para enjoos 1h antes de tomar a pílula de emergência. Outros efeitos: dor nas mamas, adiantamento ou atraso menstrual.

A pílula de emergência é legal?

O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou em janeiro de 2007 no Diário Oficial da União uma resolução estabelecendo normas éticas para o uso da contracepção de emergência, tornando-a legal como método alternativo para a prevenção da gravidez.

Podem-se tomar várias vezes num mesmo mês?

Não é aconselhável a administração repetida das pílulas de emergência no mesmo ciclo menstrual, para evitar-se uma sobrecarga hormonal. Após o uso da mesma, recomenda-se a utilização de um método contraceptivo tipo preservativo em cada relação sexual, até a próxima menstruação. Neste intervalo, aproveite e procure um ginecologista para avaliação e orientação sobre outro método regular de anticoncepção.

Palavras-chave: contracepção de emergência, pílula do dia seguinte, pílula de emergência, contracepção.

Dr. Antônio Aleixo Neto

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Ovulação

 

A pedidos, mostramos novamente uma imagem sublime e rara de se visualizar:

o momento exato de uma ovulação.

 

ovulação cópia

Dr. Antônio Aleixo Neto

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

ATIVIDADE FÍSICA E GRAVIDEZ

 

Exercicio fisico na gravidez

Hoje, nos EUA e provavelmente no Brasil, mais da metade das mulheres grávidas estão com sobrepeso ou obesidade. Essas condições podem levar a um risco aumentado de diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, natimorto, anomalias congênitas, macrossomia (gigantismo) fetal com maior risco de obstrução à passagem do ombro e lesões do feto no nascimento e obesidade infantil. Sendo assim, com a obesidade cada vez mais frequente, é importante discutir e incentivar os exercícios físicos nas pacientes grávidas.

O exercício físico durante a gravidez já foi acusado de promover um maior risco de infertilidade, aborto e parto prematuro. Com o tempo e o desenrolar das pesquisas esta atitude conservadora mudou. Atualmente, o Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia recomenda pelo menos 30 minutos de atividade três vezes moderados por semana. Um estudo de 2013, Barakat et al. demonstrou que embora o exercício não diminua significativamente a incidência de diabetes gestacional, fez diminuir o risco de macrossomia, cesariana e ganho de peso materno. Outros benefícios a atividade física na gravidez incluem melhor humor e postura corporal, a promoção do tônus ​​muscular, melhora da resistência, melhora do sono e uma melhor capacidade de lidar com o trabalho.

Quais atividades físicas são seguras para elas e seu bebê? Em geral, há um grande número de atividades que podem ser exercidas pelas mulheres durante a gravidez: de caminhada e yoga até corrida leve e natação. No entanto, as atividades em que existe um elevado potencial de trauma ou impacto abdominal ou quedas devem ser evitadas. Alguns exemplos incluem ginástica, cavalgadas, vôlei e futebol. O mergulho é uma atividade que não é recomendada durante a gravidez devido ao risco teórico de doença de descompressão no feto. O exercício físico em altas altitudes também deve ser feito com cuidado para as mulheres grávidas. Para o Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia, os exercícios até 1800ms de altura são seguros. Em altitudes acima patamar, no entanto, pode haver um risco aumentado para o feto.

Após o primeiro trimestre, as mulheres grávidas são muitas vezes aconselhadas a evitar posição supina (deitada de barriga para cima) por longos períodos de tempo, devido a preocupações de que o útero grávido possa causar obstrução do fluxo sanguíneo venoso e do potencial de hipotensão ortostática. Recomenda-se também que as mulheres grávidas tomem precauções no exercício físico em clima quente e úmido, como o uso de roupas adequadas e hidratar se bem.Grávida

Embora o exercício físico seja recomendado para muitas mulheres grávidas, existem casos em que eles são contraindicados. Por exemplo: incompetência do colo do útero, pacientes submetidas à cerclagem, placenta prévia, ruptura prematura de membranas, sangramento persistente, antecedentes de parto prematuro ou ameaça de parto prematuro na atual gravidez e pré-eclampsia.

A atividade física no período pós-parto também tem muitos benefícios, como um retorno mais rápido ao peso pré-gestacional. Para as puérperas saudáveis, o rápido retorno às atividades físicas não tem quaisquer efeitos adversos. Em mulheres que não se exercitaram após o parto, um estudo revelou que apenas 30% recuperam o nível de condicionamento pré-gestacional e eram três vezes mais propensas a manter o peso adquiridos na gravidez do que em comparação com aquelas mulheres que se exercitaram no pós-parto.

Existem benefícios de longo prazo para os filhos de mães que se exercitaram durante a gravidez? Os filhos dessas mães saudáveis mostraram um peso mais adequado, diminuição do percentual de gordura corporal, juntamente com melhores habilidades de linguagem oral e os resultados dos testes de QI mais altos.

Dadas as evidências que comprovam os benefícios do exercício físico para a mãe e o bebê, incentivar o exercício físico durante a gravidez é um passo positivo na luta contra a crescente epidemia de sedentarismo e obesidade. Estamos de acordo com as recomendações das principais sociedades médicas que as mulheres com gestações não complicadas devem se exercitar como parte de um estilo de vida saudável antes, durante e após a gravidez. A atividade física tem se mostrada muito útil, levando a riscos mínimos e tem demonstrado os benefícios para a mãe e o bebê.

Antônio Aleixo Neto

Adaptado de artigo do Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras: 2014.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Higiene íntima feminina: o que fazer e não fazer

Muitas pacientes perguntam se podem usar produtos para higiene íntima, e a resposta é SIM. Hoje, existe uma série de produtos adequados para esta finalidade, sejam sabonetes ou lenços umedecidos. Estes produtos podem ajudar as mulheres a se sentirem limpas e ajudam a protegê-las da proliferação de fungos e bactérias, que são os responsáveis por coceiras e irritações vulvares.
Intima
Quando fazer?
Além de um banho diário, onde deverá ser usado um sabonete íntimo nos genitais externos, as mulheres que ficam fora de casa durante todo o dia devem utilizar os lenços íntimos pelo menos por duas vezes por dia. Lembramos que a limpeza deve ser nos genitais externos, e não na vagina. No período menstrual esta limpeza deverá ser feita com mais frequência.
Antes de usar tais produtos, pergunte a seu médico quais são os mais indicados. Procure utilizar produtos sem perfumes e corantes, uma vez que estes contêm substâncias químicas que podem causar irritação na genitália externa. Evitar especialmente os sprays e desodorantes íntimos! Os talcos também não são adequados por que geralmente ressecam a pele e mucosa e – acreditem – aumentam o risco de câncer dos ovários.
E as roupas?
Realmente, as roupas íntimas e as roupas do dia-a-dia fazem parte da higiene feminina. Roupas muito apertadas e de tecido grosseiro como os jeans não são nada adequadas para o nosso clima. O ideal é utilizar roupas leves e que favoreçam a “respiração” dos genitais. Ideal mesmo é o uso de vestidos e saias. O uso de “leggings” por longos períodos é ”chamar” micoses, candidíases e outras infecções.
Jeans1
As calcinhas não devem ser de tecido sintético como o nylon e nem muito apertadas. O verão chegou e lembre-se que na praia, o uso de biquínis molhados por muito tempo favorecerá também as infecções por fungos.
Duchas vaginais sim?
Duchas NÃO. O meio interno vaginal possui um equilíbrio de flora que mantém o ambiente ácido e protegido. Ao fazer a ducha vaginal toda esta flora será removida, podendo levar a alguns problemas de saúde. Portanto, duchas vaginais só com indicação médica.
Protetor diário?
Não são indicados, uma vez que deixam os genitais abafados e geralmente contém perfumes que causam irritações e alergias.
Dr. Antônio Aleixo Neto
Palavras chaves: higiene íntima, sabonetes íntimos, lenços íntimos, duchas vaginais












segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Textos e desenhos de Carol Rosseti

 

 

Carol Rosseti é designer, ilustradora, artista, feminista e amante do chocolate. Não necessariamente nesta ordem. Acompanhem-na no seu Face. Vale à pena.

Dr. Antônio Aleixo Neto

domingo, 27 de setembro de 2015

Qual o método anticoncepcional mais eficaz?

 

Ao contrário que muitas pessoas pensam, o método mais seguro não é a ligadura de trompas, que pode falhar em cerca de 0,5% dos casos. Vejam a seguir as taxas de gravidez dos principais métodos anticoncepcionais. Lembrar que existem as falhas com o uso perfeito ou teórico, geralmente só alcançado em pesquisas médicas e o uso prático, que é o que acontece no dia a dia das usuárias.

Método anticoncepcional

Uso perfeito

Uso prático

Implante

0,05%

0,05%

Mirena

0,2%

0,2%

Ligadura

0,5%

0,5%

Vasectomia

0,5%

0,5%

DIU de cobre

0,4%

0,8%

Injetáveis

0,05%

3%

Pílula

0,3%

8%

Adesivo

0,3%

8%

Anel vaginal

0,3%

8%

Preservativo

2%

15%

Observem que na prática as falhas da pílula podem ser altas (8%) devidas justamente ao uso errado, esquecimentos, etc.

A capacidade da usuária em saber usar corretamente um método anticoncepcional é um dos fatores que deve ser levado em conta quando da escolha do método.

O único método 100% eficaz é a abstinência sexual.

Palavras chaves: anticoncepcionais, eficácia, taxas de gravidez.

Dr. Antônio Aleixo Neto

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Efeitos benéficos não contraceptivos da pílula

Pilulas

Muito se fala dos riscos do uso da pílula anticoncepcional. De fato, existem alguns. No entanto, além do seu principal efeito benéfico - a contracepção - a pílula combinada relaciona-se com uma série de outros efeitos positivos, os quais devem ser lembrados para as usuárias ou candidatas ao uso da pílula:

Benefícios ligados ao ciclo menstrual

Diminuição da quantidade e duração da menstruação.

Diminui a incidência de anemia, devido à diminuição do fluxo.

Regularização do ciclo menstrual.

Melhora das cólicas menstruais.

Redução dos sintomas da TPM.

Dismenorréia

Outros benefícios

Diminuição dos sintomas da endometriose

Diminuição da incidência da Displasia Mamária

Diminuição da incidência da doença inflamatória pélvica gonocócica

Tratamento temporário das síndromes anovulatórias (Ovários Policísticos)

Tratamento coadjuvante da acne e hirsutismo (excesso de pelos)Acne

Diminuição da incidência de cistos ovarianos funcionais dos ovários.

utero1

Proteção contra câncer

Sem dúvida, os fatores de proteção contra o câncer devem ser considerados com atenção, uma vez que podem salvar vidas. A pílula anticoncepcional atua na proteção contra dois tipos de cânceres na mulher:

Câncer do ovário

Estimam-se mais de 6000 casos novos de câncer do ovário para o Brasil, no ano de 2015. É um câncer que não tem exames de prevenção e é altamente letal. O fator de risco mais importante para o desenvolvimento do câncer de ovário é a história familiar de câncer de mama ou ovariano e ocorre mais na 6ª. década de vida.

A pílula anticoncepcional pode reduzir de 30 a 70% no risco de desenvolver este tipo de câncer. Esta proteção pode permanecer durante décadas, após o término do uso da pílula.

Câncer do endométrio ou do corpo do útero

O câncer do endométrio (corpo do útero) é o sexto tipo de câncer mais frequente entre as mulheres, com aproximadamente 319 mil casos novos por ano no mundo. No Brasil estima-se mais de 6000 novos casos por ano. A maior parte surge na pós-menopausa, com pico aos 65 anos. Os principais fatores de risco são idade precoce na menarca, idade tardia na menopausa, terapia de reposição hormonal e obesidade. Não existem exames de prevenção e o único fator de proteção conhecido é o uso prévio de anticoncepcionais orais. Eles promovem a diminuição do risco em mais de 50%. Por isso mesmo, um grupo de cientistas da Universidade de Oxford, especialistas em epidemiologia, estimaram que nos últimos 50 anos foram evitados 400 mil casos de câncer de endométrio, apenas nos países de renda mais alta, graças às pílulas anticoncepcionais.

Este efeito protetor da pílula se mantém no tempo e persiste durante décadas.

Dr. Antônio Aleixo Neto

Palavras-chave: pílula anticoncepcional, ciclo menstrual, menstruação,câncer, efeitos benéficos, câncer endométrio, câncer ovário.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Você precisa descansar da pílula uma vez por ano?

 

Pilula

FALSO. Esta é uma das crenças mais comuns sobre a pílula, até mesmo por alguns profissionais de saúde. A ideia de fazer uma pausa a partir da pílula pode ter suas origens no fato de que as pílulas mais antigas tinham altas doses hormonais. Algumas pessoas também acham que é necessário para ter uma pausa da pílula para manter os níveis de fertilidade. No entanto, não há razão para as mulheres fazerem um descanso da pílula. Autores sugerem que, de fato, o reinício repetido da pílula pode ser mais prejudicial do que quando o uso é continuado. Além disso, como efeitos colaterais geralmente ocorrem nos primeiros meses de uso da pílula, muitas vezes cedendo depois de um tempo, ao reiniciar a pílula, as mulheres podem ter esses efeitos colaterais novamente. É bom lembrar também que, muitas mulheres acabam “descansando” nove meses de gravidez, com a crença errônea de que neste período de pausa não estariam férteis.

Gravida

Palavras-chave: Pílula, anticoncepcional, gravidez.

Dr. Antônio Aleixo Neto

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

O que é vaginose bacteriana?

A vaginose bacteriana é uma “infecção” vaginal causada pela gardenerella vaginalis e alguns outros germes. É a causa mais comum de corrimento na mulher na fase reprodutiva. A vaginose bacteriana é causada pela substituição da flora vaginal normal por estes germes já citados. Embora se conheçam alguns fatores predisponentes, não se sabe exatamente por que este fato acontece. IMPORTANTE: a vaginose bacteriana não é doença sexualmente transmissível e por este motivo raramente os parceiros precisam de tratamento.
Os sintomas mais comuns da vaginose são: odor desagradável (odor de peixe) e corrimento amarelo claro. Não é comum a coceira, a não ser que esteja associada a outros micro-organismos. Embora a vaginose bacteriana não seja grave, é importante tratá-la, uma vez que ela pode predispor à doença inflamatória pélvica (salpingite – infecção nas trompas) e ao parto prematuro, na gestante.
Comprovada seu diagnóstico, que geralmente é feito na própria consulta, o(a) ginecologista deverá prescrever um tratamento que pode incluir comprimidos e/ou cremes vaginais, além de abstinência sexual durante certo período. A cura é rápida, mas, infelizmente, as recidivas são frequentes.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

HERPES GENITAL

Herpes é uma doença sexualmente transmissível (DST) muito comum, causada pelo Herpes Vírus tipo 1 e 2, que qualquer pessoa sexualmente ativa pode adquirir. A maioria das pessoas com o vírus não têm sintomas, mas, mesmo assim, pode transmiti-lo a parceiros (as) sexuais.
A prevenção é essencial, por que o herpes não tem cura, ficando o (a) portador (a) sujeito a crises recorrentes. Nos casos sintomáticos é importante a visita a um médico com urgência, propiciando um diagnóstico correto.
Os sinais e sintomas mais frequentes são: aparecimento de pequenas bolhas dolorosas na mucosa (vulvar, vaginal, peniana, labial, anal) que podem se espalhar e soltar um líquido. Prurido, ardor, dor ao urinar são comuns. A fase aguda pode durar até 2-3  semanas.



Após alguns dias os sinais e sintomas podem simular outras doenças.
O tratamento consiste em cremes locais e uso de antivirais. O objetivo é diminuir os desagradáveis sintomas e tentar que as recidivas ocorram num espaçamento maior.
ATENÇÃO
Não ter relações sexuais de nenhuma espécie na fase ativa da doença;
Procurar um relacionamento mutuamente monogâmico com um (a) parceiro (a) que foi testado e tem resultados negativos de testes de DST;
O uso de preservativos de látex da maneira correta todas as vezes que tiver relações sexuais, embora possa não ocorrer uma proteção total;
Lavar as mãos com rigor.


Dr. Antônio Aleixo Neto

Palavras-chave: herpes genital, DST, herpes labial, HSV.










sexta-feira, 17 de julho de 2015

DIU SAFE Cu300


O DIU SAFE Cu 300, de fabricação holandesa, pode ser usado tanto por mulheres que já tiveram filhos como por nulíparas, adolescentes e mulheres que tenham útero com dimensão inferior a 6 cm. O DIU é um aparelho contraceptivo seguro e eficaz, apropriado para mulheres com baixo risco de doenças sexualmente transmissíveis. Nesta moderna geração de DIUs, os modelos CEPEÓ TCu 380A e DIU SAFE Cu 300 oferecem contracepção eficaz por longos períodos de tempo, com taxas de gravidez relatadas variando entre menos de uma por 100 mulheres/ano. Em usuárias típicas, os DIUs são mais eficazes do que os anticoncepcionais orais e são quase tão eficazes quanto os injetáveis, implantes e a esterilização voluntária. Já muito eficazes na contracepção, os DIUs estão sendo aprimorados em busca da redução dos efeitos colaterais e das complicações tais como sangramento, dor e expulsão.




sábado, 11 de julho de 2015

DÚVIDAS?

É possível engravidar se tiver relações no período de intervalo da pílula?
Pilula foto
Não. O período de pausa, que varia de 4 a 7 dias, é seguro, em relação a riscos de gravidez. No entanto, atenção! O esquecimento das primeiras pílulas da cartela seguinte é uma das causas mais comuns de falhas da pílula.
Dr. Antônio Aleixo Neto
Like Facebook


quarta-feira, 20 de maio de 2015

CONHEÇA 6 OPÇÕES DE TRATAMENTO PARA A SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS

A Síndrome de Ovários Policísticos é um problema de saúde que pode afetar a mulher de várias maneiras:
Ovário-Policístico-cópia
  • Causar infertilidade,
  • Levar a irregularidades menstruais
  • Ocasionar alterações hormonais
  • Levar ao aumento na espessura e crescimento dos pelos
  • Promover aparecimento e piora da acne
  • Predispor ao Diabetes tipo 2
  • Predispor à obesidade
O tipo de tratamento vai depender: 
Se a mulher deseja ou não engravidar
Dos sintomas apresentados
Da diminuição dos riscos associados (diabetes, hipertensão, doenças cardíacas)
Quando a mulher deseja engravidar o tratamento se faz com:
  • Clomifeno, associado ou não à metformina (anti-diabético), ou, mais raramente:
  • Gonadotrofinas
Se a mulher não deseja, no momento, engravidar.
  • Pílula anticoncepcional: é quase insubstituível, por que reduz os níveis de hormônios masculinos, ajuda a melhorar a acne e o excesso de pelos, além de regularizar os ciclos menstruais.
Outras possibilidades são: 
  • Metformina, que melhora o metabolismo dos açucares, abaixa a testosterona e o crescimento dos cabelos. Pode ajudar no retorno à ovulação, melhorar o colesterol e diminuir a gordura corpórea. Geralmente é usado em associação com outros medicamentos ou pílula anticoncepcional.
  • Anti-androgênicos, tais como a espironolactona, podem diminuir o crescimento de pelos e os hormônios masculinos.
  • Progesterona: pode regularizar o ciclo menstrual, mas não melhora a acne e crescimento de pelos.
Em todos os casos deve-se promover atividades físicas, dieta saudável e hipocalórica, além de se evitar o tabagismo.







domingo, 10 de maio de 2015

PRATO: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

image

O Prato Saudável, criado por especialistas em nutrição da Harvard T.H. Chan School of Public Health e editores da Harvard Health Publications, é um guia para a criação de refeições saudáveis, equilibradas – servidas em um prato ou embaladas em marmita. Coloque uma cópia na geladeira como lembrete diário para criar refeições saudáveis e equilibradas!

Faça a maior parte de sua refeição com legumes e frutas – ½ do seu prato:

Selecione por cor e variedade e lembre-se que batatas não contam como vegetais no “Prato Saudável”, devido a seu impacto negativo sobre o “açúcar” no sangue.

Escolha grãos integrais – ¼ do seu prato:

Grãos integrais e intactos – trigo, cevada, quinoa, aveia, arroz integral e alimentos feitos com eles, como massa integral – têm um efeito mais suave sobre o “açúcar” no sangue e insulina do que pão branco, arroz branco, e outros grãos refinados.

O poder das proteínas – ¼ do seu prato:

Peixe, frango, feijão e nozes, todos são fontes de proteínas saudáveis, versáteis – podem ser misturadas em saladas e acompanhar vegetais em um prato. Limite carne vermelha e evite carnes processadas, como bacon, linguiça e salsicha.

Óleos vegetais saudáveis – com moderação:

Escolha óleos vegetais saudáveis, como azeite de oliva, óleo de canola, soja, milho, girassol, amendoim, e outros, e evitar óleos parcialmente hidrogenados, que contêm gorduras trans não saudáveis. Lembre-se que baixo teor de gordura não significa “saudável”.

Beba água, café ou chá:

Evite bebidas açucaradas, limite leite e laticínios a 1-2 porções por dia, e limite suco a um copo pequeno por dia.

 

Mantenha-se ativo:

A figura vermelha correndo através da bandeja do Prato: Alimentação Saudável é um lembrete de que permanecer ativo também é importante para controlar o peso.

A principal mensagem do Prato Saudável é: concentre-se na qualidade da dieta.

O tipo de carboidrato da dieta é mais importante do que a quantidade de carboidratos porque algumas fontes de carboidratos – como legumes (exceto batatas), frutas, grãos integrais e feijões-são mais saudáveis do que outros.

O Prato Saudável também aconselha os consumidores a evitarem bebidas açucaradas, uma fonte importante de calorias – geralmente com pouco valor nutricional.

O Prato Saudável incentiva os consumidores a usarem óleos saudáveis e não define um percentual máximo de calorias que as pessoas deveriam ingerir diariamente de fontes saudáveis de gordura.

“Copyright © 2011 Harvard University Para mais informações sobre o Prato: Alimentação Saudável, consulte The Nutrition Source, Department of Nutrition, Harvard T.H. Chan School of Public Health, http://www.thenutritionsource.org and Harvard Health Publications, health.harvard.edu”.

By Antônio Aleixo Neto, Harvard’s Alumni

antonioaleixo@post.harvard.edu

clip_image002

Leia também, de Dráuzio Varella:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/drauziovarella/2015/05/1623864-reclama-pro-bispo.shtml

sexta-feira, 1 de maio de 2015

O Mirena® realmente pode causar acne?

 

De acordo com artigo recente da revista Contraception, as chances de desenvolver acne são muito maiores entre as usuárias de Mirena do que com outros métodos contraceptivos hormonais.clip_image002

Embora alguns tipos de pílula possam ser associados a um aumento da incidência de acne, na maior parte das vezes a pílula anticoncepcional combinada (que tem dois hormônios) tem um efeito positivo na melhoria e prevenção da acne, principalmente naquelas que tem Síndrome dos Ovários Policísticos.

 

Os riscos maiores de aparecimento da acne com o Mirena são:

  • · Naquelas que tiveram acne na adolescência
  • · Naquelas que ainda tem alguma acne

Diante desses fatos, as mulheres que tem ou tiveram ou tem algumas dessas condições devem ponderar bem se compensa ou não usar o DIU hormonal, uma vez que toda mulher deseja se apresentar com uma pele bonita, lisa e com aparência saudável.

As mulheres que não têm as condições citadas acima tem um risco bem menor de desenvolver acne: 14%.

clip_image004

 

Como suspeitar que o Mirena® seja o responsável pela acne?

· Aparecimento da acne após 3-6 meses da inserção do Mirena

· As lesões cutâneas são caracterizadas por erupções cutâneas e vermelhidões na face e áreas expostas ao sol.

· A maior parte das pacientes não responde bem aos tratamentos convencionais para acne.

· 92% das pacientes melhoram quase que imediatamente à retirada do dispositivo.

O que se conclui – como sempre - é que não existe método contraceptivo perfeito e que sirva igualmente para todas as mulheres. Todo método deve ser avaliado de acordo com as características de cada usuária e de seus efeitos benéficos e maléficos.

O DIU Hormonal (Mirena) é um excelente método, extremamente eficaz, prático, com vários benefícios que vão além da contracepção, mas, como tudo na vida, é sujeito às limitações da ciência e sua indicação deve ser baseada nos melhores conhecimentos científicos e às particularidades de cada paciente.

Dr. Antônio Aleixo Neto

Palavras-chave: Diu hormonal, Mirena®, acne, anticoncepção.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Você já imaginou nunca mais ter que usar absorventes?

 

clip_image001

O InCiclo é a solução que oferece liberdade para todas as mulheres durante o período menstrual. Funciona como um coletor reutilizável que substitui o uso de absorventes.

Oferece praticidade, conforto, economia, além de ser uma escolha sustentável. O InCiclo é flexível e se adapta perfeitamente ao corpo, o que faz com que você esqueça que está usando!

É perfeito para todas as atividades (inclusive yoga, ciclismo, acrobacia, natação, ginástica, corrida e mergulho). Você também poderá dormir com o InCiclo.

O InCiclo é simples de usar, ele é inserido na vagina e simplesmente coleta o fluxo. Pode ser usado por até 12 horas! Depois é só retirar, lavar e usar novamente.

Como o InCiclo fica em posição mais baixa que um absorvente interno, facilita a remoção sem sujeira. Você não terá contato com o sangue e se inserido corretamente, não vaza.

Produzido 100% em silicone medicinal, não interfere na umidade natural da vagina e é hipoalergênico, não contém substâncias químicas, ao contrário dos absorventes comuns. O uso do InCiclo também ajuda a diminuir o risco de infecções.

A questão higiênica é outro fator a ser considerado: como não há proliferação de bactérias enquanto o sangue não entra em contato com o ar, ele não exala odores.

O InCiclo também pode ser usado por mulheres com fluxo muito intenso, o que vai mudar é apenas o intervalo da higiene. Não é necessário retirá-lo para urinar ou evacuar.

Além disso, o InCiclo é econômico e ecológico, já que você adquiri um, usa por vários anos e não precisa mais comprar absorventes descartáveis.

In Ciclo é mais saudável para você, para o seu bolso e para o planeta!

clip_image002

VEJA AQUI COMO USAR

VEJA AQUI COMO COMPRAR

 

Dr. Antônio Aleixo Neto

Palavras-chave: menstruação, ciclo menstrual, Inciclo.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Alguns mitos sobre pílulas

 

É necessário um período de descanso para mulheres que tomam pílula depois de algum tempo de uso?

Falso:

Esta é uma das crenças mais comuns sobre a pílula, até mesmo por alguns profissionais de saúde. A ideia de se fazer uma parada temporária (ex. 1 mês para cada ano de uso) pode ter suas origens no fato de que as pílulas mais antigas tinham doses altas de hormônios. Algumas pessoas também acham que esta interrupção é necessária para não comprometer os níveis de fertilidade. No entanto, não há nenhuma razão cientificamente provada para as usuárias de pílula fazerem um descanso no seu uso. De fato, além de não ser necessária, a usuária fica desprotegida e inúmeras mulheres engravidam neste intervalo e “descansam “nove meses de gravidez. Além disso, como os efeitos colaterais geralmente ocorrem nos primeiros meses de uso da pílula, muitas vezes cedendo depois de um tempo, as mulheres ao reiniciarem a pílula podem ter esses efeitos colaterais novamente.

Pilula fev2015

O período mais perigoso para o esquecimento de um comprimido é no meio da cartela?

Falso:

Este mito parece ter vindo da ideia de que a ovulação ocorre no meio do ciclo menstrual de uma mulher. No entanto, as mulheres que tomam a pílula não estão ovulando. Os ovários estão em estado de repouso. Quando esquece uma pílula apenas, o bloqueio dela sobre os ovários é interrompido, independentemente da época do esquecimento. No entanto, o esquecimento de apenas um dia dificilmente leva ao risco de uma ovulação, exceto se acontecer no início da cartela. Por quê? Lembre-se que a usuária já ficou sete dias sem tomar a pílula entre as duas cartelas. Neste período o ovário volta a funcionar e se a mulher esquecer a 1ª. pílula da cartela seguinte pode ser a conta para ovular. Portanto, o tempo menos perigoso para uma mulher esquecer pílulas está no meio da cartela e o mais perigoso é no início.

O uso da pílula pode levar à infertilidade?

Falso:

Este mito pode ser decorrente do fato de que várias mulheres que usam a pílula anticoncepcional só a interrompem para engravidar lá pelos 35 ou mais anos, numa época em que a sua fertilidade natural diminuiu. Essas mulheres muitas vezes terão uma maior dificuldade de engravidar e acham que a pílula as tornou inférteis, quando, na verdade, o problema está relacionado com a idade. Além disso, uma mulher (ou seu parceiro) pode ter um problema de fertilidade, mas ele nunca foi observado antes porque eles não estavam tentando engravidar. Em realidade, pode-se argumentar que a pílula muitas vezes contribui para a preservação da fertilidade das mulheres, uma vez que reduz a incidência de uma série de condições que têm impacto sobre a fertilidade (ex. endometriose, miomas).

Palavras-chave: pílula anticoncepcional, ovulação, gravidez, infertilidade.

Dr. Antônio Aleixo Neto