sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Ácido fólico e gravidez

As mulheres são encorajadas a tomar o ácido fólico durante a gravidez - e um novo estudo sugere que ele pode ajudar a prevenir o autismo.

A vitamina é atualmente recomendada para ajudar a prevenir a espinha bífida - mas pesquisadores noruegueses agora têm relacionado-a com a prevenção do autismo.

A relação foi investigada pelo Dr. Pal Suren do Norwegian Institute of Public Health, Oslo, Noruega e seus colegas. Eles utilizaram informações sobre 85.176 crianças nascidas entre 2002 e 2008, e acompanhadas até o início de 2012.

Dessas crianças, 270 delas (0,32%) foram diagnosticadas com transtornos de espectro autista (ASD), que incluem o autismo, a síndrome de Asperger e o "Transtorno Invasivo do Desenvolvimento – sem outra especificação", ou PDD-NOS.

Entre essas crianças, 0,13 % eram autistas, 0,07% apresentavam síndrome de Asperger e 0,12% tinham PDD-NOS.

As análises, que levaram em consideração a escolaridade materna, a idade e o número de filhos nascidos vivos, mostraram que fazer uso do ácido fólico nos períodos de 4 semanas antes e 8 semanas após o início da gravidez foi associado com um risco reduzido. O ácido fólico reduziu o risco de autismo de 0,21% para 0,10% nas crianças, o que representou uma redução do risco em 39%. Nenhuma relação foi observada com a síndrome de Asperger ou PDD-NOS.

As mulheres que utilizaram o ácido fólico foram mais propensas a ter uma educação universitária ou de nível universitário, ter planejado a gravidez, ser não-fumantes, ter um índice de massa corporal pré-gravidez abaixo de 25 e ser mães pela primeira vez.

Todos os detalhes aparecem na edição de hoje (13 de Fevereiro) do Journal of the American Medical Association.

"A suplementação com ácido fólico em todo o momento da concepção reduz o risco de defeitos do tubo neural nas crianças", diz o Dr. Suren. "Esse efeito protetor levou a fortificação obrigatória das farinhas com ácido fólico em vários países, e é geralmente recomendado que as mulheres que planejam engravidar façam uso de um suplemento diário de ácido fólico começando um mês antes da concepção."

Referências

Suren, P. et al. Prenatal Folic Acid Supplementation Associated With Lower Risk of Autism. The Journal of the American Medical Association 13 February 2013 doi:10.1001/jama.2012.155925

Papanicolau também detecta câncer de ovário| Medcenter Medscape

Papanicolau também detecta câncer de ovário| Medcenter Medscape

sábado, 2 de fevereiro de 2013

DÚVIDAS SOBRE PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

Duas perguntas são formuladas frequentemente no consultório, a respeito de prevenção do câncer do colo do útero.

A primeira é sobre até qual idade deve ser efetuada o exame citológico de prevenção (Papanicolaou) nas mulheres. A resposta é: até 65, no máximo 70 anos, para aquelas que sempre efetuaram o exame regularmente e cujos exames foram normais.

A segunda é sobre a necessidade de ser fazer citologias em mulheres que fizeram a retirada total do útero (histerectomia total). A resposta é: não, caso a histerectomia tenha sido feita devido a doenças benignas (p. ex. miomas). Mulheres que foram submetidas à histerectomia subtotal -- quando o colo do útero é mantido -- devem continuar fazendo seus exames citológicos normalmente.