sexta-feira, 23 de outubro de 2015

ATIVIDADE FÍSICA E GRAVIDEZ

 

Exercicio fisico na gravidez

Hoje, nos EUA e provavelmente no Brasil, mais da metade das mulheres grávidas estão com sobrepeso ou obesidade. Essas condições podem levar a um risco aumentado de diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, natimorto, anomalias congênitas, macrossomia (gigantismo) fetal com maior risco de obstrução à passagem do ombro e lesões do feto no nascimento e obesidade infantil. Sendo assim, com a obesidade cada vez mais frequente, é importante discutir e incentivar os exercícios físicos nas pacientes grávidas.

O exercício físico durante a gravidez já foi acusado de promover um maior risco de infertilidade, aborto e parto prematuro. Com o tempo e o desenrolar das pesquisas esta atitude conservadora mudou. Atualmente, o Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia recomenda pelo menos 30 minutos de atividade três vezes moderados por semana. Um estudo de 2013, Barakat et al. demonstrou que embora o exercício não diminua significativamente a incidência de diabetes gestacional, fez diminuir o risco de macrossomia, cesariana e ganho de peso materno. Outros benefícios a atividade física na gravidez incluem melhor humor e postura corporal, a promoção do tônus ​​muscular, melhora da resistência, melhora do sono e uma melhor capacidade de lidar com o trabalho.

Quais atividades físicas são seguras para elas e seu bebê? Em geral, há um grande número de atividades que podem ser exercidas pelas mulheres durante a gravidez: de caminhada e yoga até corrida leve e natação. No entanto, as atividades em que existe um elevado potencial de trauma ou impacto abdominal ou quedas devem ser evitadas. Alguns exemplos incluem ginástica, cavalgadas, vôlei e futebol. O mergulho é uma atividade que não é recomendada durante a gravidez devido ao risco teórico de doença de descompressão no feto. O exercício físico em altas altitudes também deve ser feito com cuidado para as mulheres grávidas. Para o Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia, os exercícios até 1800ms de altura são seguros. Em altitudes acima patamar, no entanto, pode haver um risco aumentado para o feto.

Após o primeiro trimestre, as mulheres grávidas são muitas vezes aconselhadas a evitar posição supina (deitada de barriga para cima) por longos períodos de tempo, devido a preocupações de que o útero grávido possa causar obstrução do fluxo sanguíneo venoso e do potencial de hipotensão ortostática. Recomenda-se também que as mulheres grávidas tomem precauções no exercício físico em clima quente e úmido, como o uso de roupas adequadas e hidratar se bem.Grávida

Embora o exercício físico seja recomendado para muitas mulheres grávidas, existem casos em que eles são contraindicados. Por exemplo: incompetência do colo do útero, pacientes submetidas à cerclagem, placenta prévia, ruptura prematura de membranas, sangramento persistente, antecedentes de parto prematuro ou ameaça de parto prematuro na atual gravidez e pré-eclampsia.

A atividade física no período pós-parto também tem muitos benefícios, como um retorno mais rápido ao peso pré-gestacional. Para as puérperas saudáveis, o rápido retorno às atividades físicas não tem quaisquer efeitos adversos. Em mulheres que não se exercitaram após o parto, um estudo revelou que apenas 30% recuperam o nível de condicionamento pré-gestacional e eram três vezes mais propensas a manter o peso adquiridos na gravidez do que em comparação com aquelas mulheres que se exercitaram no pós-parto.

Existem benefícios de longo prazo para os filhos de mães que se exercitaram durante a gravidez? Os filhos dessas mães saudáveis mostraram um peso mais adequado, diminuição do percentual de gordura corporal, juntamente com melhores habilidades de linguagem oral e os resultados dos testes de QI mais altos.

Dadas as evidências que comprovam os benefícios do exercício físico para a mãe e o bebê, incentivar o exercício físico durante a gravidez é um passo positivo na luta contra a crescente epidemia de sedentarismo e obesidade. Estamos de acordo com as recomendações das principais sociedades médicas que as mulheres com gestações não complicadas devem se exercitar como parte de um estilo de vida saudável antes, durante e após a gravidez. A atividade física tem se mostrada muito útil, levando a riscos mínimos e tem demonstrado os benefícios para a mãe e o bebê.

Antônio Aleixo Neto

Adaptado de artigo do Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras: 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário