segunda-feira, 27 de julho de 2015

HERPES GENITAL

Herpes é uma doença sexualmente transmissível (DST) muito comum, causada pelo Herpes Vírus tipo 1 e 2, que qualquer pessoa sexualmente ativa pode adquirir. A maioria das pessoas com o vírus não têm sintomas, mas, mesmo assim, pode transmiti-lo a parceiros (as) sexuais.
A prevenção é essencial, por que o herpes não tem cura, ficando o (a) portador (a) sujeito a crises recorrentes. Nos casos sintomáticos é importante a visita a um médico com urgência, propiciando um diagnóstico correto.
Os sinais e sintomas mais frequentes são: aparecimento de pequenas bolhas dolorosas na mucosa (vulvar, vaginal, peniana, labial, anal) que podem se espalhar e soltar um líquido. Prurido, ardor, dor ao urinar são comuns. A fase aguda pode durar até 2-3  semanas.



Após alguns dias os sinais e sintomas podem simular outras doenças.
O tratamento consiste em cremes locais e uso de antivirais. O objetivo é diminuir os desagradáveis sintomas e tentar que as recidivas ocorram num espaçamento maior.
ATENÇÃO
Não ter relações sexuais de nenhuma espécie na fase ativa da doença;
Procurar um relacionamento mutuamente monogâmico com um (a) parceiro (a) que foi testado e tem resultados negativos de testes de DST;
O uso de preservativos de látex da maneira correta todas as vezes que tiver relações sexuais, embora possa não ocorrer uma proteção total;
Lavar as mãos com rigor.


Dr. Antônio Aleixo Neto

Palavras-chave: herpes genital, DST, herpes labial, HSV.










sexta-feira, 17 de julho de 2015

DIU SAFE Cu300


O DIU SAFE Cu 300, de fabricação holandesa, pode ser usado tanto por mulheres que já tiveram filhos como por nulíparas, adolescentes e mulheres que tenham útero com dimensão inferior a 6 cm. O DIU é um aparelho contraceptivo seguro e eficaz, apropriado para mulheres com baixo risco de doenças sexualmente transmissíveis. Nesta moderna geração de DIUs, os modelos CEPEÓ TCu 380A e DIU SAFE Cu 300 oferecem contracepção eficaz por longos períodos de tempo, com taxas de gravidez relatadas variando entre menos de uma por 100 mulheres/ano. Em usuárias típicas, os DIUs são mais eficazes do que os anticoncepcionais orais e são quase tão eficazes quanto os injetáveis, implantes e a esterilização voluntária. Já muito eficazes na contracepção, os DIUs estão sendo aprimorados em busca da redução dos efeitos colaterais e das complicações tais como sangramento, dor e expulsão.




sábado, 11 de julho de 2015

DÚVIDAS?

É possível engravidar se tiver relações no período de intervalo da pílula?
Pilula foto
Não. O período de pausa, que varia de 4 a 7 dias, é seguro, em relação a riscos de gravidez. No entanto, atenção! O esquecimento das primeiras pílulas da cartela seguinte é uma das causas mais comuns de falhas da pílula.
Dr. Antônio Aleixo Neto
Like Facebook