sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Efeitos benéficos não contraceptivos da pílula

Pilulas

Muito se fala dos riscos do uso da pílula anticoncepcional. De fato, existem alguns. No entanto, além do seu principal efeito benéfico - a contracepção - a pílula combinada relaciona-se com uma série de outros efeitos positivos, os quais devem ser lembrados para as usuárias ou candidatas ao uso da pílula:

Benefícios ligados ao ciclo menstrual

Diminuição da quantidade e duração da menstruação.

Diminui a incidência de anemia, devido à diminuição do fluxo.

Regularização do ciclo menstrual.

Melhora das cólicas menstruais.

Redução dos sintomas da TPM.

Dismenorréia

Outros benefícios

Diminuição dos sintomas da endometriose

Diminuição da incidência da Displasia Mamária

Diminuição da incidência da doença inflamatória pélvica gonocócica

Tratamento temporário das síndromes anovulatórias (Ovários Policísticos)

Tratamento coadjuvante da acne e hirsutismo (excesso de pelos)Acne

Diminuição da incidência de cistos ovarianos funcionais dos ovários.

utero1

Proteção contra câncer

Sem dúvida, os fatores de proteção contra o câncer devem ser considerados com atenção, uma vez que podem salvar vidas. A pílula anticoncepcional atua na proteção contra dois tipos de cânceres na mulher:

Câncer do ovário

Estimam-se mais de 6000 casos novos de câncer do ovário para o Brasil, no ano de 2015. É um câncer que não tem exames de prevenção e é altamente letal. O fator de risco mais importante para o desenvolvimento do câncer de ovário é a história familiar de câncer de mama ou ovariano e ocorre mais na 6ª. década de vida.

A pílula anticoncepcional pode reduzir de 30 a 70% no risco de desenvolver este tipo de câncer. Esta proteção pode permanecer durante décadas, após o término do uso da pílula.

Câncer do endométrio ou do corpo do útero

O câncer do endométrio (corpo do útero) é o sexto tipo de câncer mais frequente entre as mulheres, com aproximadamente 319 mil casos novos por ano no mundo. No Brasil estima-se mais de 6000 novos casos por ano. A maior parte surge na pós-menopausa, com pico aos 65 anos. Os principais fatores de risco são idade precoce na menarca, idade tardia na menopausa, terapia de reposição hormonal e obesidade. Não existem exames de prevenção e o único fator de proteção conhecido é o uso prévio de anticoncepcionais orais. Eles promovem a diminuição do risco em mais de 50%. Por isso mesmo, um grupo de cientistas da Universidade de Oxford, especialistas em epidemiologia, estimaram que nos últimos 50 anos foram evitados 400 mil casos de câncer de endométrio, apenas nos países de renda mais alta, graças às pílulas anticoncepcionais.

Este efeito protetor da pílula se mantém no tempo e persiste durante décadas.

Dr. Antônio Aleixo Neto

Palavras-chave: pílula anticoncepcional, ciclo menstrual, menstruação,câncer, efeitos benéficos, câncer endométrio, câncer ovário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário