domingo, 13 de dezembro de 2015

Diafragma vaginal - ainda tem vez?

O diafragma vaginal é um método de barreira, ou seja, forma uma barreira mecânica que impede a passagem dos espermatozoides para o interior do útero. É um grande anel flexível, entre 6 e 8,5 cm de diâmetro com uma membrana de látex ou silicone em forma de cúpula que é colocado dentro da vagina.

O tamanho do diafragma é determinado de acordo com uma medição prévia efetuado por um médico ou profissional de saúde treinado.   Para aumentar sua eficácia, é recomendável o uso associado com geleias espermicidas, as quais fazem uma barreira química contra os espermatozoides. O problema é que no Brasil não se fabrica mais a geleia espermicida, obrigando as usuárias utilizar o diafragma com lubrificantes vaginais.

O diafragma vaginal é um método contraceptivo que exige uma orientação adequada e mulheres motivadas no seu uso. É especialmente procurado por mulheres profissionais da área de saúde, de nível superior e por aquelas que não desejam métodos hormonais.

Modo de uso

O diafragma deve ser inserido na hora da relação sexual ou até uma hora antes. Primeiramente deve ser colocado o espermicida ou o lubrificante nas bordas e no lado côncavo do diafragma. No entanto, muitas  mulheres costumam inseri-lo diariamente em determinada hora em que habitualmente têm relações sexuais.

Inserindo o diafragma

O ideal é colocar o diafragma em enquanto você está deitada, de cócoras, ou com um pé em uma cadeira. Suas pernas precisam estar bastante abertas. Dobrar os joelhos pode ajudar. Uma vez que você está na posição, siga estes passos:

Use uma mão de dobrar o diafragma ao meio com a cúpula apontando para baixo (veja a imagem abaixo). Segure sua vagina aberta com a outra mão.


Coloque o diafragma em sua vagina, apontando para o cóccix (ver imagem abaixo). Empurrar o diafragma para trás na vagina o máximo que puder.
Use um dedo para empurrar a borda frontal do diafragma atrás de seu osso púbico, apontando para o seu umbigo.


Checando a posição de seu diafragma

Insira um dedo profundamente na vagina para sentir o colo do útero atrás da película do diafragma. Se o colo do útero estiver descoberto é por que o diafragma não está bem inserido.
Isso significa que você precisa remover o diafragma, colocar gel espermicida mais sobre ele, e inseri-lo novamente.

Deixar o mesmo, no mínimo, seis horas após o coito. No caso de outra relação sexual, deve ser colocada outra dose da geleia ou lubrificante, sem retirar o diafragma.
Precisa ser lavado com água e sabão neutro após cada uso.

Vantagens

Permite à própria mulher o controle da sua fertilidade
Diminui - parcialmente - o contágio de algumas doenças sexualmente transmissíveis
Sem efeitos hormonais.
Com os cuidados de limpeza e armazenamento o diafragma vaginal pode ter durabilidade de 2 – 3 anos.

Desvantagens

Eficácia muito variável, dependendo do uso correto por parte da usuária.
Exige instruções adequadas por parte do profissional de saúde e a capacidade de entendimento por parte da mulher
Aumenta a incidência de infecções do trato urinário

Efeitos Secundários

O espermicida pode causar irritação na mulher e seu parceiro, especialmente se usado várias vezes ao dia.
As infecções do trato urinário podem ser mais frequentes. É conveniente urinar após as relações sexuais.

Contraindicações

Alergia ao látex ou silicone (muito raro)
Prolapso genital avantajado
Infecção urinária ativa ou recorrente

O diafragma vaginal está disponível na www.telediu.com.br, de fabricação nacional, de silicone e aro em espiral de metal tratado. Antialérgico, inodoro. Pode ser fervido.

Abaixo imagem de um diafragma corretamente colocado.


Palavras-chave: diafragma vaginal, contracepção, contraceptivo não hormonal, métodos de barreira.

Dr. Antônio Aleixo Neto