domingo, 15 de maio de 2016

Contraceptivos injetáveis mensais (combinados)



São aqueles que contém em sua formulação um tipo de progesterona sintética e um derivado do estrogênio natural, o estradiol.

Os injetáveis combinados têm duas diferenças importantes em relação às pílulas combinadas:

1. Não contém o etinil-estradiol (hormônio sintético) e sim um derivado do estradiol, que é natural. Esta característica confere maior segurança no uso dos injetáveis combinados, em relação às pílulas combinadas.

2. A via parenteral evita a primeira passagem hepática dos hormônios.

Os injetáveis mensais destacam-se também pela praticidade, pela facilidade de uso, pela alta eficácia e pela rápida recuperação da fertilidade.




Preparações disponíveis no Brasil

1o. grupo

Mesigyna® - Noregyna ®(Valerato de estradiol 5mg + Enantato de noretisterona 50mg)

Depomês® - (Cipionato de estradiol 5mg + Acetato de medroxiprogesterona 25mg)

Modo se uso

Iniciar no 1o. dia do ciclo, IM profunda (região glútea). Isto garante sua ação contraceptiva já no primeiro mês.
Não massagear após a aplicação. Repetir a cada 30 dias (± 3 dias), independente da menstruação. A primeira menstruação acontecerá aproximadamente duas semanas após a primeira injeção. Com a continuação do tratamento, as menstruações ocorrerão em geral em intervalos de 30 dias, mas não ficam tão regulares como nas usuárias de pílulas combinadas.

2o. grupo

Perlutan® - Ciclovular® - Preg-Less® - Uno-Ciclo® (Enantato de Estradiol 10mg + Algestona 150mg)

Modo de uso

Iniciar no 8o. dia do ciclo e repeti-la sempre no 8o. dia dos outros ciclos.

Contra-indicações

São parecidas com as contra-indicações das pílulas combinadas, no entanto, com menor rigor devido ao fato do estrogênio utilizado ser natural, além de ser administrado via parenteral (injetável), o que evita a primeira passagem hepática (fígado).

Principais diferenças com as pílulas combinadas

Fumantes acima de 35 anos: apenas são contra-indicados para usuárias que fumam mais de 20 cigarros/dia

Hipertensão: apenas em usuárias com pressão arterial igual ou acima de 160/100

Dislipidemia (colesterol alto) – não há contra-indicação

Colelitíase (Pedra na vesícula) – não há contra-indicação

Drepanocitose (distúrbio no sangue) – não há contra-indicação

Efeitos colaterais mais comuns

Dor de cabeça

Aumento de peso

Tonturas – vertigens

Dor nas mamas

Alterações no padrão menstrual

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Palavras-chave: anticoncepcionais injetáveis, injetáveis combinados, 

Prof. Antônio Aleixo Neto