sexta-feira, 27 de março de 2009

Esquema de ação do Mirena




Após sua inserção, o Mirena passa a liberar 20 mcg/dia do progestogênio chamado levonorgestrel. Ao contrário dos hormônios liberados por outras vias de administração, no DIU hormonal o levonorgestrel é liberado diretamente na cavidade endometrial (dentro do útero), com pouca ação em outras partes do organismo. Esta ação hormonal local inibe a proliferação do endométrio o qual com o tempo vai se afinando e "secando". Por este motivo na maioria das usuárias ocorre uma diminuição do volume e duração da menstruação e em muitas usuárias ela é interrompida. Outro efeito desse hormônio é o espessamento do muco cervical. Com isto, os espermatozóides encontram uma barreira física que impede a passagem dos mesmos para dentro da cavidade uterina. A somatória desses efeitos tem como consequência uma ação de barreira e espermaticida intensa, tornando o Mirena um contraceptivo altamente eficaz e além disso, com efeitos secundários desejáveis para a maioria das usuárias.