sábado, 20 de maio de 2017

O Mirena engorda?

Um dos problemas mais importantes e também mais controversos na nossa vida é o ganho de peso e a consequente obesidade e suas consequências. É um assunto extremamente complexo que envolve inúmeros fatores que se entrelaçam e afetam a nossa saúde: ingestão excessiva de alimentos (calorias), absorção dos alimentos, a falta ou deficiência de atividade física, o metabolismo individual, distúrbios hormonais, e por aí vai. No entanto, muitas vezes se esquece de que o ser humano foi desenvolvendo ao longo dos milênios uma alta capacidade armazenamento de energia (gordura). Só assim ele sobrevivia a longos dias sem caça, alimentando-se apenas de pequenos frutos e sementes. Os melhores nesta capacidade sobreviveram e nós herdamos geneticamente este fator.

 

a-pintura-rupestre-uma-das-principais-fontes-estudo-sobre-homem-pre-historico-570bc70610e5b

 

Acontece que hoje a alimentação é geralmente farta -- embora não necessariamente saudável -- e a atividade física diminui cada vez mais. Resultado: as calorias sobram e vão se transformar em gordura. A expectativa de vida também aumentou demais, já chegando aos 80 anos. A mulher sobrevive décadas após a menopausa e fica sujeita a inúmeras doenças que suas ancestrais nunca teriam. Na pré-história a expectativa de vida era de 30-40 anos. Poucos chegavam a mais do que isso. Não dava tempo de ter osteoporose, a maioria dos cânceres, artrose e obesidade...Hoje esta última pode ser já considerada uma epidemia mundial, ameaçando a saúde e bem estar de bilhões de pessoas.

E o Mirena, como é que fica? Nós sabemos que determinados hormônios podem afetar o metabolismo, predispondo à perda ou ganho de peso. O DIU hormonal (Mirena) libera o hormônio levonorgestrel (parecido com a progesterona) em doses entre 10 e 20mcg/24h, na cavidade uterina, durante cinco a sete anos. Não libera estrogênio. Só para comparar, as pílulas mais vendidas do Brasil têm 150mcg de levonorgestrel por comprimido, além de um estrogênio. Por isso, a dose liberada pelo Mirena é considerada mínima e além do mais apenas uma pequena parte é absorvida pelo organismo, caindo na corrente sanguínea.

Espqguete

É triste, mas é a realidade. Enfim, Mirena não engorda; a vida sim...