sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Os produtos de higiene feminina podem ser usados no dia-a-dia da mulher?

Muitos produtos de higiene podem ajudar as mulheres a se sentirem limpas e frescas. Eles podem ser sabonetes, lenços úmidos, talcos e sprays. Muitos destes produtos foram testados por ginecologistas e dermatologistas. Alguns podem ser utilizados para uso diário. Vários são balanceados quanto ao pH. No entanto, se uma mulher optar por usar tais produtos, pergunte a seu(sua) médico(a)ou a um(a) farmacêutico(a) quais são os mais indicados para ela. Alguns destes produtos contêm substâncias químicas e perfumes que podem causar irritação na genitália externa, especialmente os sprays. Isto pode acarretar outros problemas, como alergias e inflamação. No entanto, os cremes, lenços e sabonetes íntimos - na sua grande maioria - são confiáveis e podem ser usados normalmente. Nós recomendamos especialmente o uso de lenços umedecidos para mulheres que ficam o dia inteiro sem poder fazer uma higiene íntima adequada. Mas, se uma mulher está incomodada com corrimento - especialmente com odor e/ou prurido, consulte um (a) ginecologista e saiba se eles não são sintomas de uma infecção.
Vejam mais postagens sobre este assunto nos próximos dias.

domingo, 24 de novembro de 2013

Os testes de gravidez vendidos em farmácia funcionam?

Os testes fabricados atualmente são muito precisos (99,6%) e rápidos, além de serem baratos.

Como fazer o teste?

· Colher a urina num recipiente de plástico (geralmente disponível junto com o teste)

· Se possível colher a primeira urina do dia, por que o hormônio Beta HCG está mais concentrado.

· Colocar a ponta da tira na urina colhida durante 15 segundos, deixar numa superfície limpa e seca e esperar cerca de um minuto.

· Pronto: agora é só fazer a leitura

A partir de quando pode ser feito o teste?

Geralmente após o primeiro dia de atraso menstrual. Caso dê negativo espere alguns dias e repita. Os testes modernos têm uma sensibilidade de detectar níveis de 25mUI/ml e na realidade podem dar positivo até antes do atraso menstrual, por que o hormônio Beta HCG é produzido pela placenta tão logo ocorra a implantação do ovo no útero.

Como interpretar o resultado?

Todas as marcas tem o mesmo tipo de resultado:

· Uma linha colorida: Negativo

· Duas linhas coloridas: Positivo

· Nenhuma linha: Inválido

Exemplo de teste positivo:

clip_image002 

Deu positivo?

Pode marcar a primeira consulta de pré-natal.

Estão disponíveis testes de ótima qualidade à partir de R$ 5,00. Recomendamos as marcas: Biocon, Bioeasy e Confirme.

sábado, 2 de novembro de 2013

Esqueceu-se de tomar a pílula?

Se você tem problemas de esquecimento de tomar pílula aí vai a dica de um ótimo aplicativo para Smartphones: HORA DA PÍLULA. Ele pode ser baixado gratuitamente pela App Store (iPhone) ou Play Store (dispositivos Android).

Hora da pílula

Use a tecnologia a seu favor!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Sabia que o uso de pílula anticoncepcional protege contra o câncer do endométrio?

O câncer do endométrio (adenocarcinoma do endométrio) é aquele que aparece dentro da cavidade uterina, e não no colo do útero. As causas dos dois tipos de câncer são totalmente diferentes. O primeiro é resultante de distúrbios hormonais, e tem como fator de risco:

  • Obesidade
  • Irregularidades menstruais
  • Mulheres sem filhos,
  • Infertilidade,
  • História familiar deste tipo de câncer,
  • Menopausa tardia,
  • Diabetes,
  • Uso de estrogênio sem progesterona, entre outros.

clip_image002

O câncer do colo uterino, como já se sabe, é causado por alguns tipos de HPV.

Nos EUA 2% das mulheres terão câncer do endométrio ao longo de suas vidas. Ele é mais frequente entre 40 e 60 anos de idade.

Os estudos mostram que o uso de pílula anticoncepcional diminui o risco de câncer do endométrio em até 50%, com pelo menos 72 meses de uso. Além disso, o efeito protetor continua por muitos anos após a sua interrupção. Os investigadores sugerem que esta proteção resulta pela ação do componente progestogênico das pílulas, que atua reduzindo a proliferação do endométrio.

Este fato é interessante, por que, ao contrário do câncer do colo uterino que tem um exame de rastreamento eficaz (a citologia Papanicolaou), o câncer do endométrio não tem nenhum.

Os sintomas são imprecisos. A maioria se queixa de sangramentos anormais e ou hemorragias, principalmente na pré e na pós-menopausa. Qualquer sangramento na pós-menopausa deve ser especialmente investigado.

Palavras- chave: câncer do endométrio, adenocarcinoma do útero, câncer, endométrio.

sábado, 5 de outubro de 2013

Resultado da pesquisa sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis.

A resposta certa para a enquete sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis é HPV (Vírus Papiloma Humano). 62,86% responderam certo. Parabéns! Realmente, cerca de 300 milhões de mulheres no mundo são portadoras do HPV (dados do Instituto Nacional do Câncer). Existem mais de 100 tipos de HPV e a importância da doença é que alguns tipos podem levar ao câncer do colo do útero. A prevenção é possível fazendo-se exames citológicos e colposcópicos regularmente. Hoje também estão disponíveis vacinas preventivas que dentro de alguns anos ou décadas eliminarão o câncer do colo do útero, atualmente causador de mais de 5000 mortes por ano, no Brasil.

Entre as Doenças Sexualmente Transmissíveis causadas por bactérias, a mais frequente é a Clamídia. Falaremos sobre ela nos próximos posts.

Palavras chave: Doenças Sexualmente Transmissíveis, DST, HPV, Clamídia.

sábado, 31 de agosto de 2013

Quais as vantagens do anel vaginal?

 

O anel vaginal consiste de um anel plástico flexível que contém em seu interior dois hormônios, assim como a pílula anticoncepcional combinada. Portanto, ele age como se fosse uma pílula, só que os hormônios são absorvidos pela via vaginal.

clip_image001

O anel é facilmente inserido pela própria mulher entre o 1º. e 5º. dia de menstruação (na primeira vez que usar) e deixado por 21 dias, seguido por sete dias de intervalo e então inserido um novo anel.

As principais vantagens do anel vaginal em relação às pílulas são:

· Praticidade: a mulher não precisa se lembrar de tomar a pílula todos os dias no horário certo.

· Efeitos colaterais: devido os níveis constantes dos hormônios e ao fato de não ser metabolizada imediatamente pelo fígado, a usuária de anel apresenta menos efeitos colaterais, tais como enjoos, dor de cabeça, etc.

· Controle do ciclo: a usuária de anel vaginal tem uma probabilidade menor de sangramentos fora de época, do que a usuária de pílula.

Maiores informações no link: http://ginecenter.blogspot.com.br/2008/10/anel-vaginal.html

Palavras chave: anel vaginal, contracepção.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Governo fornecerá pílula do dia seguinte às vítimas de violência sexual.

No dia 1º. de agosto foi sancionado o projeto de lei que garante acesso de vítimas de violência sexual ao SUS, incluindo fornecimento a pílula do dia seguinte e coquetel anti-HIV, além de assistência psicológica e social. clip_image002

Lembramos que desde 2006 o Conselho Federal de Medicina já havia aprovado o uso da Anticoncepção de Emergência como método alternativo para prevenção da gravidez, por não provocar danos nem a interrupção da mesma.

O uso da pílula do dia seguinte é simples. Existem dois tipos: um com dois comprimidos, que devem ser tomados com intervalo de 12h e iniciados o mais rapidamente possível, até no máximo 72h após a relação sexual. Outro tipo tem apenas um comprimido, que também deve ser tomado no máximo em até 72h após a relação.

A eficácia desta pílula dependerá justamente do intervalo entre a relação sexual e o seu uso. Quanto mais cedo tomada, mais eficaz será. No primeiro dia: 95%. Já no 3º. dia (72h) 58%. Se compararmos com os métodos modernos de contracepção, tais como a pílula tradicional, o DIU, o MIrena, as injeções e outros, com eficácia contraceptiva acima de 99%, constatamos que a eficácia da pílula do dia seguinte é muito menor.

Portanto, seu uso só é aceitável como uma ação emergencial e se possível única. A pílula do dia seguinte não é para ser usada como método regular de contracepção.

Palavras chave: pílula de emergência, pílula do dia seguinte, contracepção de emergência.

sábado, 27 de julho de 2013

Hipertensão arterial: o que a mulher usuária de pílula deve saber

· Quem tem hipertensão arterial pode tomar pílula?

  • Pressão arterial a partir de 140/90 contraindica a pílula combinada (com estrogênio e progesterona) em qualquer dosagem. Não são contraindicados pílulas só com progesterona, os DIUs de cobre ou hormonal, o implante de progesterona e a injeção trimestral.
  • Pressão arterial acima de 160/110 contraindica a pílula combinada, a injeção mensal e trimestral. Não são contraindicados: pílulas só com progesterona, os DIUs de cobre e hormonal e o implante de progesterona.

· Quem pode ter hipertensão arterial?

  • Em tese qualquer pessoa. No entanto, devem ficar atentas as mulheres acima de 35 anos, as tabagistas, as obesas ou acima do peso ideal, aquelas com antecedentes familiares de hipertensão arterial e as que tiveram hipertensão arterial na gravidez. A incidência de hipertensão também aumenta com o passar da idade e entre os afrodescendentes.
  • As usuárias de pílulas devem fazer um controle da pressão arterial anualmente, especialmente as que têm algum fator de risco citado acima. A própria pílula combinada pode induzir a uma elevação da pressão arterial em mulheres susceptíveis. Lembrar que a hipertensão é uma doença silenciosa, não mostrando sintomas, a não ser quando já está em um patamar mais elevado.

PREVINA-SE!

Palavras chave: hipertensão arterial, pressão arterial, pílula combinada, contraindicações.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

3 motivos para colocar o DIU de cobre ou o Mirena® no período menstrual

 

  1. Primeiro é que a menstruação é a maneira mais prática de se descartar possibilidade de uma gravidez.
  2. Segundo, neste o período o canal cervical está mais permeável à introdução do aplicador
  3. Por último, a inserção dos DIUs de cobre ou hormonal pode resultar num sangramento, o qual ficará mascarado pela menstruação, não incomodando a mulher.

Mirena belo

No entanto, por conveniência, tanto o DIU de cobre ou o Mirena® podem ser colocados em qualquer época do ciclo, desde que se tenha certeza de que a mulher não está grávida. Por exemplo: mulheres em uso de pílulas, injetáveis e outros métodos seguros, ou em abstinência sexual.

A troca de um DIU por outro também pode ser efetuada em qualquer momento do ciclo.

Palavras chave: DIU de cobre, Mirena, Inserção de DIU.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Você sabia que a vacina HPV é recomendada preferencialmente para adolescentes entre 11 a 12 anos? Por quê?

clip_image002Primeiramente por que as adolescentes nesta idade geralmente não tiveram contato sexual com outra pessoa e dá tempo para as três doses da vacina – que são ministradas num prazo de seis meses -- fazerem efeito antes que isto aconteça. Portanto, é preciso entender que as vacinas existentes só darão proteção se a pessoa ainda não tiver tido contato com o HPV. Além disso, a vacina produz mais anticorpos que combatem a infecção quando administradas nesta faixa etária em comparação com idades mais avançadas.

domingo, 9 de junho de 2013

Fazendo o melhor da sua visita ao médico:

Uma forma de facilitar e tornar mais produtiva sua consulta médica é se preparar e participar ativamente de suas visitas ao médico. Aqui seguem algumas dicas que você deve seguir para usufruir da melhor forma de sua consulta médica.

Marcando a Consulta:

Quando você marca sua consulta, saiba o porquê da sua necessidade de ir ao médico:

· Você precisa apenas de uma consulta de rotina?

· Sua visita é a respeito de um problema recente? Não se esqueça de explicar sobre quando começou o problema e sua evolução ao longo dos dias.

· Para uma consulta ginecológica, certifique-se que não estará menstruada na data da consulta, evite relações 2-3 dias antes e neste período não use medicamentos vaginais em hipótese alguma.

Se você está indo pela primeira vez ao consultório verifique seu endereço e os melhores trajetos e transporte público. Uma boa ideia é usar o Google Maps. Prepare-se para chegar alguns minutos antes do horário marcado.

Caso não possa comparecer à consulta não se esqueça de cancelar com 24h de antecedência.

Antes da sua Consulta:

É uma boa ideia se preparar para a consulta médica. Fazendo algumas coisas antecipadamente ajudam a garantir uma consulta mais rápida e eficaz.

Registre suas perguntas:

Faça uma lista de qualquer dúvida ou preocupações que você tiver. Identifique o seu problema principal. Priorize esse problema e comente a respeito dele logo no início da consulta. Depois liste outros problemas ou dúvidas que você queira discutir.

Problema principal:_______________________________________________________

Outros problemas:___________________________________________________________________________________________________________________________________

Anote seus sintomas e sinais:

Pense a respeito dos seus sintomas e sinais. Seja capaz de descrevê-los – como eles se manifestam, quando eles surgiram, o que os amenizam ou agravam. Essa informação ajuda seu médico a entender seu problema com maior facilidade:

· Sinais são coisas que você pode mostrar ao seu médico, tais como caroços, inchaços ou vermelhidão.

· Sintomas são coisas fora do comum que você sente. Você deve descrevê-los ao seu médico. Exemplos de sintomas são: coceira, dor, corrimento, tontura, entre outros.

Sinais e sintomas:_____________________________________________________________________________________________________________________________________

Liste seus medicamentos:

Mantenha uma lista dos remédios que você usa. Inclua remédios tarjados ou não, analgésicos, suplementos vitamínicos e remédios fitoterápicos. Liste o porquê do uso de cada uma das drogas e a quantidade e frequência do seu uso

Medicamentos:_________________________________________________________________________________________________________________________________

Tenha o seu histórico de saúde completo:

Você será perguntado sobre seu histórico médico em sua consulta. Seu médico pode pedir a você para preencher um questionário. Ao invés de fazê-lo preencher um formulário, o médico ou alguém da sua equipe pode pedir que responda algumas perguntas e detalhes pessoalmente.

Você pode querer preparar um histórico médico escrito – um registro geral de sua saúde – para futuras consultas médicas. Esse histórico possui informações a respeito de

· Doenças e machucados

· Hospitalizações

· Procedimentos cirúrgicos

· Remédios (que você faz ou fazia uso)

· Alergias, incluindo reações a medicamentos e alimentos

· Informações pessoais:

§ Prática de exercícios e dieta (incluindo uso de álcool)

§ Fatores como stress no trabalho ou eventos como casamento ou mudanças que podem ter um grande efeito em sua vida

§ Hábitos de risco como uso de drogas

· Imunizações

· Histórico familiar de doenças (incluindo tios, tias, primos, avos, pais, irmãos e filhos) principalmente sobre Diabetes, Hipertensão, Câncer de mama e do intestino, complicações da gravidez e parto.

· Lembre-se: o ginecologista SEMPRE perguntará sobre a data da última menstruação.

Traga seus registros médicos de outras consultas

Se você está visitando o médico pela primeira vez, leve consigo seu histórico, laudos de exames de imagem e resultados de exames feitos nos últimos meses. Poderá ser perguntada dos nomes dos seus atuais e antigos médicos e clínicas.

Pense a respeito de levar um acompanhante

Caso necessário leve à consulta uma amiga ou parente, que conheça sobre você, seus problemas e interesses. Essa pessoa pode te ajudar a se lembrar de algo durante a consulta. Certifique-se de levar alguém a quem você pode confiar suas informações médicas.

Durante sua consulta

Sinta-se livre para levantar suas dúvidas e preocupações.

Os exames físicos

Seu médico deve examiná-lo da forma mais confortável possível. Avise-o se algo o incomodar ou preocupar. Esclareça as restrições de razão cultural ou religiosa que você possa vir a ter com algum tipo de exame.

Se você for solicitado a tirar suas roupas para o exame sempre será fornecido uma camisola para sentir-se mais à vontade. O exame ginecológico pode não ser muito agradável, mas é geralmente rápido e indolor.

Os médicos sempre lavam as mãos, usam luvas e materiais descartáveis novos ou previamente esterilizados. Caso tenha dúvidas, não hesite em perguntar sobre elas, afinal higiene é o item que mais merece cuidado de seu medico durante o exame.

Conversando com seu médico

Se você tem alguma dúvida, pergunte a respeito delas. Use suas anotações se preciso. Se você for perguntado a respeito de algo, responda da melhor forma possível e em seu próprio benefício, não esconda detalhes sobre sua vida pessoal ou da doença que a aflige.

Certifique-se de que compreendeu tudo que seu médico disse a você, principalmente o diagnóstico e o tratamento. Caso algo não tenha ficado claro, peça para que ele repita a explicação ou explique de outra forma.

BOA CONSULTA

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Sangramento com uso de pílulas: é arriscado engravidar?

Algumas usuárias de pílulas combinadas (as mais utilizadas, com dois hormônios) apresentam pequenos sangramentos, geralmente tipo “borra de café”, no intervalo entre as menstruações. Embora possa ocorrer em qualquer época de uso da pílula, este tipo de sangramento ocorre principalmente nos três primeiros meses de seu uso e naquelas de doses mais baixas. Ele é considerado efeito colateral de menor importância clínica, mas caso seja frequente pode incomodar e levar a usuária a abandonar o método.

Por outro lado, muitas mulheres ficam preocupadas com o risco de gravidez quando acontece este fato, achando que a pílula está “fraca”. Este risco não existe caso a usuária esteja tomando corretamente. O problema é que grande parte dos casos de pequenos sangramentos são decorrentes de ESQUECIMENTO, e aí sim, pode haver um maior risco de gravidez.

Portanto, o fator esquecimento deve ser constantemente combatido. Hoje, com os celulares modernos, é fácil para uma usuária de pílula colocar um alarme para que ela se lembre do horário de tomada.

clip_image002

clip_image004

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O que são cistos da mama?

São pequenas cavidades cheias de líquido que aparecem no interior das mamas. Podem ser de vários tamanhos e parecem pequenas uvas ou cachos de amoras macias. Os cistos simples das mamas são relativamente frequentes, benignos e aparecem na maioria dos exames ultrassonográficos. Eles podem crescer no período pré-menstrual e muitas vezes são dolorosos nesta fase. De uma maneira geral, os cistos da mama podem ser acompanhados pelo exame de ultrassom e não necessitam de qualquer intervenção cirúrgica, a não ser eventuais punções com agulhas.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Quais as vantagens da pílula de progesterona em relação à pílula comum?

Primeiramente vamos esclarecer o que é a pílula de progesterona ou progestínica, também chamada de mini-pílula ou pílula de progestagênio. É aquela que tem apenas um derivado do hormônio progesterona na sua composição em dose baixa. Ou seja, esta pílula não tem estrogênio. Esta é a grande diferença. E como não tem estrogênio, este tipo de pílula pode ser usado em uma série de circunstâncias em que a pílula combinada (com os dois hormônios) não pode. Vamos exemplificar:

Condição

Pílula progestínica

Pílula combinada

Pode ser usada?

Lactação

Sim

Não

Hipertensão

Sim

Não

Fumante acima de 35 anos

Sim

Não

Enxaqueca

Sim

Não

Lúpus

Sim

Não

História de trombose venosa

Sim

Não

Anemia falciforme

Sim

Não

Uso de Rifampicina

Não

Não

Uso de anticonvulsivantes

Não

Não

Como se vê, a pílula progestínica tem uma série de vantagens sobre a pílula comum, que é combinada. Por que então ela não é tão usada?

Primeiramente, por que as pílulas progestínicas antigas não eram tão seguras quanto às combinadas. No entanto, nos últimos anos surgiu uma pílula progestínica com o hormônio desogestrel, na dose de 0,075mg, que é tão eficaz quanto as pílulas combinadas.

Outra questão é que as pílulas progestínicas devem ser tomadas sem interrupção e o padrão menstrual tende para a amenorreia (ausência de menstruação), mas certo número de usuárias podem ter sangramentos fora de hora, que podem incomodar.

Em resumo, as pílulas progestínicas devem ser lembradas como uma opção excelente em uma série de condições em que a mulher não pode tomar a pílula combinada.

sábado, 20 de abril de 2013

Vocês conhecem os benefícios do uso da pílula, além da sua ação contraceptiva?

Muitas pessoas não sabem que além do efeito contraceptivo as pílulas anticoncepcionais têm outros efeitos benéficos para as suas usuárias.

Exemplos:

· Regularização do ciclo menstrual

· Redução da duração e quantidade do fluxo menstrual

· Diminuição das cólicas menstruais

· Tratamento paliativo dos miomas e endometriose

· Tratamento paliativo da síndrome de ovários policísticos

· Melhora da acne

· Diminuição do risco de câncer do ovário e do endométrio

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Síndrome dos ovários policísticos (SOP)

Muitas mulheres já ouviram sobre esta manifestação clínica. Realmente a SOP é o distúrbio endócrino mais comum do sexo feminino, atingindo cerca de 12% das mulheres em idade fértil e é a causa mais comum de infertilidade feminina.

Os sinais e sintomas mais comuns são: irregularidade menstrual, podendo chegar à interrupção da menstruação; acne; hirsutismo (excesso de crescimento de pelos na mulher com distribuição masculina); obesidade e a presença de micro-cistos nos ovários. Dependendo do estágio da Síndrome dos Ovários Policísticos, a mulher poderá ter um ou vários destes sinais.

A nível hormonal a mulher portadora de SOP poderá ter uma produção excessiva do hormônio masculino testosterona pelos ovários, daí a acne e hirsutismo; anovulação crônica (falta de ovulação), daí a infertilidade, aumento da insulina (daí o maior risco de diabetes no futuro); aumento do colesterol e triglicérides (daí o risco aumentado de doenças cardíacas no futuro).

O tratamento dependerá do que a mulher deseja:

· Deseja gravidez? Indução da ovulação. De um modo geral tem bons resultados e a mulher engravidará em pouco tempo.

· Não deseja gravidez? Anticoncepcional oral, de preferência com baixo perfil androgênico. O objetivo da pílula é “adormecer” os ovários, que desta maneira não produzirão o hormônio masculino e em decorrência disto ocorrerá uma melhora substancial da acne e do hirsutismo. Também permitirá ciclos menstruais regulares e sem cólicas.

· Em alguns casos estará indicado a metformina, para controle dos distúrbios causados pelo aumento da insulina.

· Dependendo das alterações na pele e do crescimento e distribuição dos pelos, poderá ser indicado um tratamento estético.

domingo, 17 de março de 2013

Um papo sobre HPV

O que é HPV?

O HPV (vírus papiloma humano) é a causa mais comum de DST (doença sexualmente transmissível). Ele pode acometer qualquer pessoa que tenha atividades sexuais, principalmente se não praticar o sexo seguro. Só para se ter uma ideia, nos EUA, onde existem estatísticas confiáveis a respeito, cerca de 25% da população (± 80 milhões de pessoas) estão infectados pelo vírus. Destas, a metade são mulheres. 14 milhões de novos casos são diagnosticados por ano, naquele país. O HPV é tão comum que pode-se dizer que quase todos os homens e mulheres sexualmente ativos vão ter pelo menos um tipo de HPV em algum momento de suas vidas.

Há cerca de 100 tipos de HPV, sendo que 40 tipos podem infectar os órgãos genitais de homens e mulheres. Os tipos oncogênicos, ou de alto risco do HPV (por exemplo, os tipos de HPV 16 e 18), são a causa dos cânceres cervicais. Estes tipos de HPV também estão associados com outros cânceres anogenitais em homens e mulheres, incluindo a do pênis, vulva, vaginal e anal; além de um subconjunto de câncer de orofaringe.

A maior parte dos portadores de HPV geralmente não apresentam sinais ou sintomas, sendo diagnosticados apenas no exame médico. No exame ginecológico o HPV pode ser diagnosticado por um ou vários exames: citologia de prevenção, exame de material biopsiado, teste de Schiller, colposcopia e captura híbrida.

O que o HPV pode causar?

Alguns tipos de HPV podem causar alterações no colo do útero, que podem levar ao câncer cervical ao longo do tempo. Estes tipos de HPV também podem infectar outras partes do corpo e causar outros cânceres menos comuns em homens e mulheres.

Outros tipos de HPV podem causar verrugas genitais.

Muitas vezes, o sistema imunitário do corpo repele HPV naturalmente dentro de dois anos - antes de HPV causar qualquer problema de saúde. É apenas quando o HPV permanece no colo do útero de uma mulher por muitos anos que pode causar câncer cervical. Especialistas não sabem por HPV persiste em certos casos, mas não em outros.

Como o HPV é transmitido?

O HPV é transmitido por contato (pele com pele) genital, mais frequentemente durante o sexo vaginal ou anal. HPV também pode ser transmitido durante o sexo oral. A maioria das pessoas nem sequer sabem que têm o HPV, ou que estão passando-a para o seu parceiro. Por isso, pode não ser possível saber quem lhe transmitiu o HPV ou desde quando a pessoa o tem. HPV é tão comum que a maioria das pessoas é contaminada logo depois que começam a ter relações sexuais, e, no entanto, só são diagnosticadas anos mais tarde.

Condiloma acuminado

Às vezes, certos tipos de HPV podem causar verrugas genitais em homens e mulheres, chamadas de condilomas. Mais raramente, esses tipos também podem causar verrugas na garganta.

As verrugas genitais geralmente aparecem como um pequenos carocinhos na área genital, com coceira ou dor local. Elas podem ser pequenas e espalhadas, geralmente em forma de couve-flor. As verrugas podem aparecer dentro de semanas ou meses após o contato sexual com uma pessoa infectada, mesmo que o parceiro infectado não tenha sinais destas verrugas genitais. Se não tratadas, as verrugas genitais podem crescer e também se espalhar pela região ano-genital. As verrugas genitais não se transformam em câncer.

Recomendações para as mulheres antes da realização de exame ginecológico:

 

· Evitar relações sexuais nas 48h anteriores ao exame

· Não estar no período menstrual (exceção para colocação de DIU)

· Não usar cremes vaginais nos cinco dias anteriores ao exame

· Não utilizar ducha vaginal interna no dia do exame

· Deve-se esvaziar a bexiga antes do exame

terça-feira, 12 de março de 2013

Você quer engravidar mais rápido?

Muitas mulheres desejam engravidar logo ou então está demorando muito para que isto aconteça. Para estas, existe um método simples para engravidar mais rápido: o Teste de Ovulação.

Este teste consiste numa pesquisa na urina, simples e barata, feita na sua própria casa, parecido com aqueles testes de gravidez de farmácia. O exame ajuda em definir o momento mais provável de ovulação, ou seja, o período que a mulher está mais fértil.

O exame deve ser realizado durante cinco dias consecutivos, aproximadamente no mesmo horário. Caso dê positivo (vide figura) significa que a mulher está para ovular nas próximas 36 horas. É importante saber que o espermatozoide sobrevive até 72 horas no corpo da mulher e que o óvulo sobrevive apenas 24 horas, em média.

Resultado teste ovulao

Para maiores informações veja: http://web.telediu.com.br/BULA-OVULACAO-10-08-2009.pdf

e http://www.telediu.com/produto/41/teste-de-ovulacao/ e BOA SORTE!

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Ácido fólico e gravidez

As mulheres são encorajadas a tomar o ácido fólico durante a gravidez - e um novo estudo sugere que ele pode ajudar a prevenir o autismo.

A vitamina é atualmente recomendada para ajudar a prevenir a espinha bífida - mas pesquisadores noruegueses agora têm relacionado-a com a prevenção do autismo.

A relação foi investigada pelo Dr. Pal Suren do Norwegian Institute of Public Health, Oslo, Noruega e seus colegas. Eles utilizaram informações sobre 85.176 crianças nascidas entre 2002 e 2008, e acompanhadas até o início de 2012.

Dessas crianças, 270 delas (0,32%) foram diagnosticadas com transtornos de espectro autista (ASD), que incluem o autismo, a síndrome de Asperger e o "Transtorno Invasivo do Desenvolvimento – sem outra especificação", ou PDD-NOS.

Entre essas crianças, 0,13 % eram autistas, 0,07% apresentavam síndrome de Asperger e 0,12% tinham PDD-NOS.

As análises, que levaram em consideração a escolaridade materna, a idade e o número de filhos nascidos vivos, mostraram que fazer uso do ácido fólico nos períodos de 4 semanas antes e 8 semanas após o início da gravidez foi associado com um risco reduzido. O ácido fólico reduziu o risco de autismo de 0,21% para 0,10% nas crianças, o que representou uma redução do risco em 39%. Nenhuma relação foi observada com a síndrome de Asperger ou PDD-NOS.

As mulheres que utilizaram o ácido fólico foram mais propensas a ter uma educação universitária ou de nível universitário, ter planejado a gravidez, ser não-fumantes, ter um índice de massa corporal pré-gravidez abaixo de 25 e ser mães pela primeira vez.

Todos os detalhes aparecem na edição de hoje (13 de Fevereiro) do Journal of the American Medical Association.

"A suplementação com ácido fólico em todo o momento da concepção reduz o risco de defeitos do tubo neural nas crianças", diz o Dr. Suren. "Esse efeito protetor levou a fortificação obrigatória das farinhas com ácido fólico em vários países, e é geralmente recomendado que as mulheres que planejam engravidar façam uso de um suplemento diário de ácido fólico começando um mês antes da concepção."

Referências

Suren, P. et al. Prenatal Folic Acid Supplementation Associated With Lower Risk of Autism. The Journal of the American Medical Association 13 February 2013 doi:10.1001/jama.2012.155925

Papanicolau também detecta câncer de ovário| Medcenter Medscape

Papanicolau também detecta câncer de ovário| Medcenter Medscape

sábado, 2 de fevereiro de 2013

DÚVIDAS SOBRE PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

Duas perguntas são formuladas frequentemente no consultório, a respeito de prevenção do câncer do colo do útero.

A primeira é sobre até qual idade deve ser efetuada o exame citológico de prevenção (Papanicolaou) nas mulheres. A resposta é: até 65, no máximo 70 anos, para aquelas que sempre efetuaram o exame regularmente e cujos exames foram normais.

A segunda é sobre a necessidade de ser fazer citologias em mulheres que fizeram a retirada total do útero (histerectomia total). A resposta é: não, caso a histerectomia tenha sido feita devido a doenças benignas (p. ex. miomas). Mulheres que foram submetidas à histerectomia subtotal -- quando o colo do útero é mantido -- devem continuar fazendo seus exames citológicos normalmente.

sábado, 26 de janeiro de 2013

O Mirena® é caro?


A escolha de um método anticoncepcional depende de muitos fatores, tais como a eficácia, os efeitos colaterais, as contra-indicações, o conhecimento do mesmo pela mulher e também, muitas vezes, o custo do mesmo. É nesse ponto que muitas vezes a potencial usuária se confunde, apenas levando em conta o investimento inicial e não o total, que engloba a soma de anos de uso do método. Sendo assim, aparentemente, o custo do DIU de cobre ou o Mirena® é maior que outros métodos tais como pílula, injetáveis, entre outros. Mas, vários estudos mostram que ao contrário que parece, o custo do DIU e do Mirena é menor que qualquer outro método, tanto para as que colocam “particulares” ou para os planos de saúde, se for considerado o uso estimado de cinco anos. Se considerar uma pílula que custe R$ 30,00 por mês, isto significará cerca de R$ 360,00 por ano x 5 = R$ 1800,00. O custo do Mirena (cerca de R$ 700,00) + a inserção não chega a este valor. E olhe que tem barato que fica caro…

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Câncer do colo do útero: qual sua importância na vida das mulheres?

Sua importância sobrevém principalmente da sua ainda alta incidência (número de novos casos/ano) na população feminina: cerca de 20 mil novos casos por ano no Brasil. Isto significa um risco estimado de 20 casos a cada 100 mil mulheres.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer do colo do útero é o segundo mais comum no Brasil, atrás apenas do câncer de mama, que incide em cerca de 50 mil mulheres por ano.

Sabe-se que para o surgimento do câncer do colo do útero a condição necessária é a presença de infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV). Aproximadamente todos os casos do câncer do colo do útero são causados por um dos tipos de alto risco do HPV. Destes os mais comuns são o HPV16 e o HPV18. Outros fatores que contribuem para a etiologia deste tumor são o tabagismo, baixa ingestão de vitaminas, imunodeficiência, multiplicidade de parceiros sexuais e iniciação sexual precoce.

O HPV é transmitido durante a relação sexual e por este e outros motivos o sexo seguro, com o uso do preservativo masculino ou feminino é sempre recomendado. Hoje também já estão disponíveis as vacinas bivalentes ou quadrivalentes contra o HPV. Elas devem ser aplicadas, de preferência, antes que a menina tenha a primeira relação sexual. Embora elas ainda não estejam disponíveis na rede pública, recomenda-se fortemente sua utilização, visando um benefício futuro.

No entanto, não há motivo para pânico quando muitas mulheres ficam sabendo serem portadoras do vírus. Existem dezenas de tipos de HPV e só alguns são de alto risco. Alguns só causam apenas pequenas verrugas na pele e outros o Condiloma Acuminado, popularmente conhecido como “crista de galo”, que ocorre nas regiões genitais ou anais de homens e mulheres. Este é uma doença venérea antiga, desagradável, anti-higiênica e muito contagiosa, porém não leva ao câncer.

O exame rotineiro das mulheres pode leva-las ao diagnóstico de lesões precursoras causadas pelo HPV, chamadas muitas vezes de “manchas” no colo do útero. Na presença destas lesões e ajudado pelo exame de Papanicolaou (citologia), pela colposcopia (exame ótico para aumento da visualização das lesões), pelo exame anátomo-patológico da lesões retiradas por biópias e eventualmente pelo exame do DNA de células (captura híbrida), o médico tem condições de atuar de várias formas, prevenindo uma possível evolução para o câncer do colo do útero.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

O Mirena® engorda?

Um dos problemas mais importantes e também mais controversos na nossa vida é o ganho de peso e a consequente obesidade e suas consequências. É um assunto extremamente complexo que envolve inúmeros fatores que se entrelaçam e afetam a nossa saúde: ingestão excessiva de alimentos (calorias), absorção dos alimentos, a falta ou deficiência de atividade física, o metabolismo individual, distúrbios hormonais, e por aí vai. No entanto, muitas vezes se esquece de que o ser humano foi desenvolvendo ao longo dos milênios uma alta capacidade armazenamento de energia (gordura). Só assim nossos antepassados sobreviviam a longos dias sem caça, alimentando-se apenas de pequenos frutos e sementes. Pela seleção natural, os melhores nesta capacidade sobreviveram e nós herdamos geneticamente este fator. Acontece que hoje a alimentação é geralmente farta -- embora não necessariamente saudável -- e a atividade física diminui cada vez mais. Resultado: as calorias sobram e vão se transformar em gordura, que é o melhor meio para seu armazenamento. A expectativa de vida também aumentou demais, já chegando aos 80 anos. A mulher sobrevive décadas após a menopausa e fica sujeita a inúmeras doenças que suas ancestrais nunca teriam. Na pré-história a expectativa de vida era de 30-40 anos. Poucos chegavam a mais do que isso. Não dava tempo de ter osteoporose, a maioria dos cânceres, artrose e obesidade...Hoje esta última pode ser já considerada uma epidemia mundial, ameaçando a saúde e bem estar de bilhões de pessoas.

E o Mirena®, como é que fica? Nós sabemos que determinados hormônios podem afetar o metabolismo, predispondo à perda ou ganho de peso. O DIU hormonal (Mirena®) libera o hormônio levonorgestrel (parecido com a progesterona) em doses entre 10 e 20mcg/24h, na cavidade uterina, durante cinco anos. Não libera estrogênio. Só para comparar, as pílulas mais vendidas do Brasil têm 150 mcg de levonorgestrel por comprimido, além de um estrogênio. Por isso, a dose liberada pelo Mirena® é considerada  mínima e além do mais, apenas uma pequena parte é absorvida pelo organismo, caindo na corrente sanguínea. Dessa forma, a maioria dos estudos não mostra um aumento de peso além do que é observado nos grupos de controle. É importante entender que os estudos científicos têm que ter estes grupos de controle, cujos componentes são similares ao grupo de estudo em tudo (faixa etária, sexo, hábitos, alimentação, etc) exceto no fator que está sendo analisado, no caso: o Mirena. Ah, mas minha vizinha engordou 3kg, fulana 4kg...! Isto não vale. Não foram controladas. Não se sabe que hábitos foram modificados, que alimentos ingeriram, se fazem atividade física regular e o MAIS importante: os anos se passaram. Isto mesmo. O tempo é cruel para a maior parte das pessoas, especialmente quanto ao ganho de peso. Uma determinada mulher que se casou há quatro anos poderá observar que neste período pode ter ganho alguns quilinhos. Provavelmente ela estará usando uma pílula e esta será erradamente considerada a "culpada". Se nossa amiga observar, a poucos metros dela achará o marido com uma bela cintura e também seus quilos a mais. 

É triste, mas é a realidade. Enfim, Mirena® não engorda, a vida sim...